Arquivo de março, 2004

Aniversário de um triste nascimento

Publicado: março 31, 2004 em Política

eu acendo a luz
se a lâmpada queimar
eu abro a janela
se o sol cair
eu acendo velas
se o mundo se perder
eu procuro de novo
se a música desligar
eu canto
se você me deixar
eu te busco
se cair
eu me levantodisso eu sei…
mas quanto tempo demorarei?
que caminhos serei obrigado a percorrer?

Hoje completam-se 40 anos posteriores ao Golpe de 1964, que destruia os direitos democráticos e políticos do nosso país, e que atrasou por décadas o desenvolvimento de uma consciência social que pudesse dar alicerces um pouco menos tortos a nossa tão querida democracia. Sairam algumas matérias interessantes por aí, amanhã vou tentar condensar alguma 🙂

Amar rima com beijar
Ler rima com viver
Decidir rima com agirTalvez seja por coinscidência que essas palavras tenham a mesma terminação. Mas não podemos dizer de acaso a ligação fundamental intrínsica a elas.

Eu acho que muitas vezes nós não sabemos demonstrar de maneira construtiva o carinho que nutrimos por algumas pessoas. Isso acontece por diversos motivos: orgulho, medo de sermos mal compreendidos, incertezas em nossos sentimentos, medo de se expor…
É uma coisa em que eu me sinto feliz: eu posso ir dormir sabendo que as pessoas que eu amo sabem que eu as amo. Posso acordar sabendo que os amigos de que gosto sabem meu telefone caso precisem de alguma coisa.

Outra coisa comumente esquecida é sobre a necessidade do “saber”. Ler, na minha opinião, é fundamental para a formação de um caráter crítico. Entender o mundo é uma responsabilidade de todo ser humano, que adquiriu uma consciência tão sofisticada! só a partir do entender é que conseguiremos construir a possibilidade do mudar.

Sim, e a última questão do dia é sobre as decisões cuja prática protelamos. Muitas vezes criamos uma barreira tão grande entre o decidir e o agir, que nos tornamos quase que incapazes de atender aos apelos da nossa razão, ou seja, de fazer algo que julgamos essencialmente certo, seja por um medo que já julgamos infundado, seja por um preço que já decidimos que é baixo o bastante…
Eu acho que precisamos diminuir sensivelmente a espessura dessa linha, pra que nossos ideais se aproximem mais de nossa prática cotidiana. Acho que isso poderia resolver boa parte de nossos conflitos 🙂