A despedida de alguém que não foi. E que eu não queria que fosse nunca…

Publicado: julho 20, 2007 em Declarações, Reflexões

Eu sou tão distraído.
Às vezes demoro tanto para perceber o mais óbvio. Sei que não é falta de atenção ou cuidado. Também não é displicência. É só porque me foge. Acho que é porque o coração não quer aceitar por verdadeiro.

Ela é uma das pessoas que eu mais amo por mundo. É a maior das revolucionárias, apesar de às vezes ser alguém tão quadrada e intransigente. Um grande modelo para mim, daqueles modelos que mais do que imitar a gente absorve. A gente sente, sabe?

Ela é responsável, junto com minha mãe, por praticamente tudo o que eu tenho de bom. Com certeza pelo mais importante. Elas me ensinaram absolutamente tudo o que eu sei sobre bondade, altruísmo e solidariedade.

É uma das pessoas mais vivas que eu já conheci. Tão ativa! Sempre indo para todos os lados, sempre cuidando de todo mundo, sempre tão preocupada. Às vezes preocupada demais, eu sei, mas é como as vós são, não é?

Nunca me bateu. Pôs pimenta na minha boca uma vez na vida (eu, orgulhoso desde 1 metro e 20 centímetros, a desafiei) e ficou fazendo comidinhas gostosas para que eu a desculpasse por uma semana seguida. E moro com ela desde que eu existo.

Nasceu em uma família paupérrima. Morava com mãe, pai e 3 irmãs em um cortiço que tinha apenas um cômodo. Seu pai, pessoa pobre de dinheiro mas nobre de coração, era alfaiate e trabalhava 14 horas por dia para manter a família. Isso lhe custou a vida ao não seguir as recomendações médicas de repouso para tratar da tuberculose, alias.

Aos 12 anos já trabalhava. Olhava crianças. Engraçado… uma criança olhando crianças menores. Casou bastante cedo. Junto a um marido alcólatra, teve 6 filhos, sendo o último o mais especial (meu doce tio Thomaz, pessoa mais carinhosa que conheço e portador de sindrome de down). Quando os filhos eram pequenos, era costume dormirem bem cedo, pois lhe aflingia o fato deles reclamarem sua fome sem que nada pudesse fazer para sacia-la. Verdadeira guerreira: cuidava de todas as crianças e ainda costurava bolsas e sapatos para o marido ir vender de porta em porta. Se privava de tudo e ao mesmo tempo transmitia os valores mais valiosos para todos as suas voltas. Não lembro nunca de tê-la ouvido (ou ter alguém que lembrasse de) ela se queixar de algo para ela. Toda a sua luta e suas reclamações foram sempre para ajudar sua família.

Cara, que bosta. Não estou conseguindo falar nada dela. Isso não é o mais importante.

Minha avó é amor. É pessoa única, estrela grandiosa que guiou e cultivou dentro de mim as verdades mais profundas das quais nunca quero me distanciar. Ela é a pessoa que pensa por todos, que não guarda mágoas, que faz de tudo para que você esteja bem. Ela tem o abraço mais gostoso, o carinho mais afetuoso. É a pessoa que eu mais respeito, e uma das que mais me ensinou sobre amar. Um coração tão a frente, tão sensível ao mundo e as pessoas ao seu redor, tão incapaz de ser indiferente ao sofrimento alheio.

Ela está se despedindo e eu não tinha notado.

Ontem ela me acordou, no meio da madrugada. Pediu desculpas, disse que me amava e me deu um beijo. Semana passada me ligou no meio de uma viagem em que fiz, apenas para dizer que estava com saudades, e quando eu cheguei ela disse que essa casa não tinha tanta cor sem mim.

Minha tia estava arrumando as coisas… e ela queria dar o aparelho de fazer pontos e os pincéis que ela usava para desenhar em lenços. Notamos que os planos que não de curto prazo estão sendo deixados de lado, ela está ainda mais compreensiva e afetuosa com todos nós.

Não, não estou falando que ela está suspirando. Nem que está sucumbindo, ou se entregando. Mas algo acontece, algo que me faz prender a respiração e voltar a ter um medo enorme, quase infantil, me mostrando que realmente essas coisas não são minhas, que eu não posso ter o controle de tudo que me é importante, que eu preciso me preparar para aceitar que certas coisas fazem parte do rumo natural da vida.

Dói, dói muito pensar nessa possibilidade. E é incrível como de um pensamento pode sobressair uma dor tão real. Parece que quase posso enxergá-la dentro de mim.

Minha avó é luz, amor, alegria e vida. E eu espero poder chegar aos pés dela em suas qualidades e ser capaz de oferecer-lhe, nesse e em todos os próximos momentos juntos, leveza e felicidade.

Desejo ser capaz de oferecer isto a todos. Mas especialmente para ela.

Anúncios
comentários
  1. Mari disse:

    Numa passagem Clarice que diz: ” Morte. Eu te odeio” .

    O que mais me estranha na morte? Essa sensação de que tudo continua apesar de…sabe?
    tradução perfeita do sentimento de impotência.

    Força meu querido. não tenho palavras, mas meu coração sabe exatamente o que está sentindo.

    Cuida-te

    Vários beijos

  2. pedrokeppler disse:

    mas o que seria sem medo da morte?

    sabe, como você vai sentir saudade de alguém se você sabe que essa pessoa sempre estará aí? No final das contas acho que é mais positivo do que parece, apesar de ruim ainda assim.

  3. Verônica disse:

    Ei, moço! Você certamente será capaz de oferecer a ela leveza e felicidade. Aliás, já oferece.
    Te conheço há tão pouco tempo, mas posso afirmar que você é uma pessoa maravilhosa, com um coração enorme.
    A despedida é algo que faz parte da vida. Parte difícil, sem dúvida! Você é forte e superará os desafios. Estarei contigo para o que precisar (se precisar).

    Te adoro!

  4. Carol Timm disse:

    Gabriel…

    O que posso dizer-te, Gabriel? O que podemos dizer quando sabemos que a morte, parte da vida, nos tomará alguém que nos deu tanto amor incondicional como sua avó fez?

    Acho que posso dizer que amor cultivado, amor recebido, amor profundo, ninguém toma. Depois que plantam essa semente na gente, levamos essa plantinha do amor por toda a vida. Ela é semeada no coração, mas a gente continua cultivando ela para sempre, e passando ela no sorriso, no abraço, no beijo e semeando ela de novo pela vida afora.

    Sua vó não irá embora um dia, ela simplesmente vai se tornar uma estrela, dessas que mesmo nas noites nubladas ou no meio das tormentas sabemos que está brilhando no céu.

    Sua vó estará sempre no seu coração enquanto cultivar o amor por ela. O tempo não pode levar o que é parte de nós. A gente não perde alguém quando essa pessoa muda de endereço, a gente perde quando esquece dela. E acho sinceramente que vai lembrar dessa avó guerreira, amorosa, dedicada para sempre.

    Beijos,
    Carol

  5. Sheila disse:

    Essa sensação que vc tem eu tb tenho, com relação a pessoas muito próximas a mim. É estranho, doloroso e, infelizmente, inevitável.

    Já perdi pessoas muito queridas e sempre me vem a sensação de que poderia ter feito mais por elas, ter dado mais atenção, mais carinho… Por isso, agora, me policio para não deixar de enxergar as pessoas que estão ao meu lado, já que não sei quanto tempo elas permanecerão por aqui ou quanto tempo EU permanecerei por aqui.

    Cuide de sua avó. Passeie com ela. Dedique o tempo que lhe sobrar a ela. E demonstre mais do que nunca que a ama, para que ela saiba que a despedida é apenas algo temporário. Um dia, todos nós voltamos a nos encontrar.

    Um grande abraço!

  6. Colombina disse:

    Nessas horas a vida é tão estranha… ninguém tem muito motivo pra nascer, ninguém nasce por pura vontade própria, e ninguém precisa de muito motivo pra ir embora. No entanto há quem passe a vida procurando um sentido pra ela… a sua vó não é desse tipo. Sua vó é uma guerreira, uma sobrevivente, e o exemplo que deixa, o amor que te passa, é no sentido de sobreviver. A minha parece igual… ela passou por momentos de desmotivação para viver quando chegou numa certa idade…. isso de achar que está fazendo hora extra. Portanto mostre a sua vó que ela ainda tem muito a fazer, ainda que sejam apenas projetos curtos. Com esses pequenos planos ela reencontra a graça da vida. Mas se ela estiver doente mesmo, estado terminal, agir dessa maneira é bom para lembra-la de que ela ainda está viva.

  7. Marilac disse:

    Querido Gabriel,

    Ontem foi aniversário da minha mãe, e quando fui abraça-la ela me apertou forte e disse espero estar aqui no próximo ano !!!O que senti foi exatamente o que você descreveu com tanta sensibilidade ao falar do amor que sente e da pessoa maravilhosa que é sua avó!
    Alguns fatos fazem parte do curso natural da vida … mas isso não os torna menos dolorosos!Evite nublar os seus dias com esses pensamentos de despedidas, concentre-se na vida que existe, na alegria de tê-la ao seu lado.

    Sei que vc com certeza já oferece a ela, leveza e felicidade!!!

    Esse seu texto me emocionou profundamente!

    bjs

    Marilac

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s