Sete coisas sobre meu mundo – e um manifesto indignado sobre a política no Brasil.

Publicado: setembro 17, 2007 em Olhar para dentro, Política, Reflexões

O desafio não era bem esse. Mas não só os poetas possuem sua licença. Eis sete partes de mim.

1: A vida só vale com os amigos. Não há ideologia que sem eles me salve, não há paixão, não há família, não há possibilidade. Sem amigos não dá. “Tu és eternamente responsável pelo que cativas”, disse a Raposa. Gosto de cuidar, pensar que sabem o quanto estou disponível para tudo o que precisarem. São eles que me levam. E “We get to carry each other, carry each other”

2: Tenho pessoas que amo e nunca deixarei de amar. Algumas delas já estão distantes a anos, com outras tenho tido, infelizmente, uma relação muito mais superficial do que outrora. Mas de certa maneira tudo o que meu coração já sentiu sobrevive (se transforma e recicla, mas perdura). Eu tenho aprendido a lidar com a saudades e respeitar as escolhas alheias, mas não é um exercício fácil.

3: Sou cheio de ideais. Sou de sangue guerreiro. Às vezes não sei bem qual as armas que devo usar, às vezes acho que não vou conseguir muita coisa. Mas eu tento. É um impulso anterior a escolha: é o que sou e do que não posso fugir. Mas me tranquiliza saber (e isso como sei!) que mesmo se tornasse uma questão de escolha, isso não seria diferente. Essa verdade é fundamental, impulsos são fortes, mas alguns exigem justificativas (será possível?). Me faz triste saber que o mundo que procuro está bem distante do mundo em que vivo.

4: Sou uma pessoa tímida. Mas sou extrovertido. Às vezes tenho vontade de contar todos os meus segredos e abraçar forte. Às vezes quero vir ao meu quarto e ficar só. Sei que o escudo da superficialidade nos impede muitas vezes de ter contato com um profundo vazio. Mas só a prefiro caso seja uma questão de sobrevivência. Eu gostaria de ter mais coragem, às vezes, para ousar mais conversações inusitadas. Me incomoda este meu “pudor”.

5: Amo ler, cinema, teatro, paisagens.  Mas nestes campos meu maior amor é mesmo a música e agradeço a tecnologia por me permitir levá-la comigo para todos os lugares. Ando pelo mundo num passo mais ou menos apressado, e sempre cantando alguma coisa. Já paguei uns micos por isso, mas é mais forte do que eu. A música é também um dos instrumentos de transformação no qual eu acredito. Sim, eu realmente acredito que ela pode ajudar a mudar o mundo. Toco guitarra (não muito bem).

6: Sou bastante intenso. Vou do 8 pro 80 em instantes. Não vou do 80 pro 8 tão rápido. Tenho uma grande capacidade de abstração, principalmente quando é uma questão de necessidade acima da escolha. Eu “sou um animal sentimental me apego facilmente ao que desperta o meu desejo”.  Me entrego realmente às causas que compartilho. Às pessoas que gosto, idéias que acredito.

7: Eu tenho medo de não conseguir. E de as coisas deixarem de fazer sentido. Sei que, de certa maneira, minha luta não atenderá minhas necessidades.  E que na minha vida os anos tem se passado sem que eu tenha conseguido cumprir o cronograma que meus sonhos estabelecem. Mas eu vou adiante. Vamos?

Citações musicais:

a) U2 – One (ouçam a versão gravada com Mary J Blidge) | b) Legião Urbana – Sereníssima

A política brasileira é realmente uma coisa deprimente. Inocentado? Mas, como?

Dizem do 4º poder. A (terrível) mídia reacionária brasileira, dessa vez, bombardeou pesadamente os abundantes podres de Renan Calheiros, e nem assim foi suficiente. O problema costumava ser esconderem as informações que poderiam afastar determinado político. Mas dessa vez foi o contrário: se investigou e se demonstrou, de diversas maneiras, a ausência de honestidade por parte do presidente do senado.

E, ainda assim, inocentado. “Não há provas suficientes”? O que eles querem dizer com isso está bem claro: não importa a quantidade de provas que vocês apresentem, não podemos cassar este senador.

Mas, por quê não? A situação é óbvia para qualquer um e extravasa o corporativismo dos políticos. Mais do que tudo, é uma questão de sobrevivência para esta corja imunda. Já pensou qual a mensagem seria dada ao país caso, descoberto um caso de corrupção clara e indiscutível, fossem punidos os envolvidos?

Faria as pessoas acreditarem na justiça novamente. E pessoas que acreditam na justiça são muito perigosas: elas cobram, elas agem, elas reclamam, elas fazem as coisas acontecer. E esse tipo de transformação não é o que o poder político quer para si, tudo o que ele busca é reproduzir-se e perpetuar-se (e, se possível, aumentar sua esfera de influência).

Foi um golpe forte, eu reconheço. Eles são muito bons em massacrar nossa esperança. E isso realmente diminui nossa força (quanto mais desesperançados estivermos, menos ação da nossa parte, não tenham dúvidas).

Vamos saber pelo que lutar e como conquistar de volta o nosso poder. O importante, caros amigos, é não desistir. Por favor…

Anúncios
comentários
  1. Mary disse:

    Eu conheço este menino…
    E gosto dele exatamente assim: como ele é. Um pouco de tudo. Todo amor e toda dor do mundo.
    Esse é Gabi, meu nobre e pequeno príncipe.

    Cara, adoro você!

    Mil Beijos

  2. pedro keppler disse:

    maldito cronograma!

  3. Sheila disse:

    Adorei conhecer essas suas sete partes… Confesso que me reconheci em algumas delas. Isso traz uma sensação boa de que há pessoas parecidas comigo no mundo.

    Quanto a sua indiganção, certamente, você não está só. O que aconteceu foi mais um tapa na cara do nosso povo . Viramos palhaços nas mãos desses políticos. Mas, concordo… Não podemos desistir. Um dia, eu espero, viraremos o jogo!

    Abraços e ótima semana!

  4. Verônica disse:

    Bom, só não concordo com uma coisa – Tímido? Você??? Onde? Quando? hahaha.

    E sim, pessoas que acreditam na justiça são perigosas e não querem isso.

    Beijos, gostei do texto.

  5. Melina disse:

    Oxe, não me importo que tenha mudado o desafio!
    Fique à vontade 😉
    É, eu ainda não aprendir a respeitar as escolhas daqueles que amo, principalmente quando eles decidem que depois de um tempo o caminho deles é diferente do meu, isso machuca. Queria te-lo para sempre, até EU dizer chega.
    Egoísmo, não?

    Eu não posso dar opinar nesse caso do Renan Calheiros, porque eu quase não assisto jornal, e sim…não tenho participado ativamente da política do país nesses últimos meses, não tenho tempo, sei que isso não é desculpa, mas, eu cansei -não desisti- mas, não sei explicar. Quero mudar isso, quero ver jornais ainda, mesmo que seja umas 4 vezes na semana, tenho que administrar o meu tempo.
    Acho que agora, que o povo não vê justiça é que deveria haver mais reclamação e mais luta da nossa parte, mas, o grande problema da sociedade daqui é que criticar é o máximo, criticar é tudo, difícil é fazer e se importar, sabe? Para mim, mais da metade das pessoas com relação à política brasileira vivem da boca pra fora e pra mim, isso é ridículo…De qualquer forma, essa corrupção que vem ‘ocorrendo’ nesse governo, é uma forma de alerta pra população, podemos ver o lado positivo: a corrupção sempre existiu, mas, antes ela era totalmente escondida e a população nem sabia, HOJE, apesar dos bandidos serem inocentados, pelo menos eles são julgados, né. Porque antes, até isso era difícil. O problema maior é esse, não temos problema nesse governo, são problemas de dééécadas atrás, e pode se resolvido, se todos perceberem isso.

    Quanto ao The Trip, ótima escolha. Acredito que não poderá se arrepender ! :*

  6. Colombina disse:

    Esse fim de semana pensei em te escrever um e-mail, só então percebi que não posso…

    Oba! Um cara que viaja, que voa! Eu sabia, é um anjo encarnado. Percebo que você não é muito fã do meio termo. – Coloca mais um na lista dos que acham o mei termo muito sonso. – Que sonhos metódicos, eles fizeram até cronograma pra você! Os meus ficam zanzando por aí, sem ligar se corro atrás deles ou não. Sua luta não atenderá suas necessidades? Quer dizer que é um guerreiro de causas perdidas? Precisa escutar Sonho Impossível. Se bem que causas perdidas podem ser aquelas que não são encontradas… aí seriam causas inimagináveis…

    Não sei não, quando não há esperança há desesespero, e desespero pode gerar alguma ação. Ou não. Dotor, a lei está ao lado de quem tem o bolso mais recheado. Se não acostumou, fica acostumado. Se não gostou, junte-se aos revoltados. E depois que ficar rouco de tanto protestar, o jeito é ficar calado. Mas nunca parado.

  7. Marilac disse:

    Gabriel,

    Adorei conhecer um pouco mais sobre você.

    Amigos são anjos e companheiros de vida;temos pessoas que iremos amar para sempre. e sei que não é um exercicio fácil esse de lidar com a saudade!
    Gostei de saber do seu sangue guerreiro, pois ele não vai lhe deixar esmorecer apesar das dificuldades e isso vai fazer muita diferença.

    O medo faz parte , só não pode ser paralisante, quanto aos sonhos talvez não cumpram cronogramas ,mas é preciso sonhar sempre.

    No caso Renan, infelizmente mais uma vez muita divulgação e nada de condenaçao!

    Belissima esse musica One nesta versão..

    Bjs

    Marilac

  8. Cátia disse:

    Nada foi mais intenso que:
    “Sou cheio de ideais. Sou de sangue guerreiro. Às vezes não sei bem qual as armas que devo usar…”

    Prefiro admirar os ideais , do que comentar os que ja foram abortados neste país.

    aqui é bom de estar.

  9. mira disse:

    GAbriel,
    Me emocionei imensamente sobre seu mundo…
    Apesar da sua timidez, es muy intenso e verdadeiro no que se propoe a fazer…
    A vida é assim cheia de erros e acertos e estamos aqui para isso…
    Continue nessa caminhada …
    Um super bj no seu coraçao.

  10. Carol disse:

    Gabriel,

    Eu não sei se alguns dos seus sonhos vão mudar o mundo…
    mas e se nos juntarmos a você?! Talvez possamos sim fazer algumas coisas!

    Eu lembrei de um texto que a Mira publicou no blog dela. Falava de um homem solitário que devolvia ao mar as estrelas-do-mar que apareciam na beira da praia. E ele, as jogava de volta ao mar, uma por uma. Algumas voltavam de novo e de novo e ele continuava a devolvê-las… Um escritor que viu o que aquele homem fazia, achando se tratar de um “tolo” perguntou por que ele continuava a fazer isso, se milhares delas, morreriam na praia, e comentou que isso não faria a menor diferença. E então aquele homem explicou: para aquela aquela estrela-do-mar que conseguisse devolver ao mar, teria feito diferença!

    Pelo que li de você, talvez seja parte da sua alma esse tipo de gesto. Queria tanto que lesse a Alma Imoral, acho que ias gostar muito…

    Mas acredite, pelos comentários aqui, não vais caminhar tão sozinho nessa praia, salvando as estrelas-do-mar… Acho que outros solitários por aí já começaram e talvez o dia que nos reunirmos, teremos uma bela equipe de resgate!

    Penso que os artistas sonham para lembrar o homem-leitor que uma grande árvore começou de apenas uma semente.

    Beijos e parabéns por ter tido a coragem de mostrar-se e de compartilhar seus sonhos conosco, que às vezes são tão parecidos com os nossos…

  11. Jac Oliveira disse:

    🙂
    meu tempo pra blogs anda tão escasso.. mas gostei de passar por aqui e te ler.
    beijos

  12. Roberta disse:

    Muito legal esse post, acho legal a forma como vc se entrega aos projetos…

    Também morro de medo de não conseguir…

    Sobre política, calo minha boca, porque não vale nem a pena…

    Beijos anônimos

  13. Cátia disse:

    Tô sentindo falta de suas palavras por aqui!

  14. Sydão disse:

    veio, medo a gente sempre tem um pouco… isso é consequência de determinados limites que possuímos que muitas vezes não temos humildade suficiente para percebê-las e reelaborá-las, a fim de que consigamos mudar as coisas… e precisamos muito mudar as cosas. Precisamos urgentemente.

    Inocentar calheiros é um ato de covardia. É um ato grotesco da mais suja política desta “democracia” representativa. Mas já tenho consciência de que se não mudarmos definitivamente o que nos cerca não conseguiremos romper com práticas absolutamente inerente ao atual estado de coisas… precisamos mudar aos poucos… mas isto precisa se transformar em uma grande mudança.

    Foi a Carol Timm que me indicou seu blog. Muito bom.

  15. Carol disse:

    Gabriel,

    Melina tem toda a razão…

    Onde anda você?

    Saudades…
    Carol

  16. Marilac disse:

    Gabriel,

    Por onde anda você?

    Saudades

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s