Teatro Mágico: Entrada para Raros ->>> Teatro Mágico: Segundo Ato

Publicado: maio 18, 2008 em Música, escrever, sentir..., Reflexões

Show do Teatro Mágico sempre me proporciona sentimentos intensos. Hoje vou tentar explicar um pouquinho melhor (porque explicar, neste caso, significa também sentir mais!) sobre esse grande grupo que, ao meu ver, está travando uma interessante mudança de paradigmas no modo de se pensar a música.

A proposta do Teatro Mágico, acessível a todos, é unir diversas manifestações artísticas em um mesmo espetáculo. Fundamentalmente música, circo, poesia, teatro, dança. Mas essa união, por mais bela que seja, não seria tão incrível se não estivesse fundamentada em um objetivo muito maior. E é sobre ele que eu gostaria de falar um pouco agora.

No primeiro CD, eu vejo uma nítida preocupação em resgatar o sentir, o brilho no olhar, o abraço sincero, o companheirismo entre as pessoas, o carinho. Em fazer o coração bater mais forte, permitir que enxerguemos a vida sobre outras perspectivas, com muito mais vontade, com muito mais alegria, com muito mais disposição para as coisas que nos são realmente importantes. Que nos faz repetir que “sinto que sei que sou um tanto bem maior”, “só enquanto eu respirar vou me lembrar de você”, “às vezes a gente se pergunta por que é que não se junta tudo numa coisa só?”, “viva a sua maneira, não perca as estribeiras, saiba do teu valor, e amanheça brilhando mais forte, que a estrela do norte, que a noite entregou” e “camarada, viva a vida mais leve, não deixe que ela escorregue, que te cause mais dor”.

Músicas que nos ajudam a olhar para dentro e achar que isso tudo ainda vale a pena. Que cultivam valores importantes com uma energia vibrante simplesmente contagiante. Que abrem nosso coração para coisas tão boas.

Mas tudo isso tem um limite. Felicidade, alegria, companheirismo. São coisas fundamentais para nossa vida, mas que não se esgotam em si! Como podemos sentir essas coisas em um mundo profundamente marcado pela desigualdade social, pela massificação gerada por um capitalismo que produz pessoas cada vez mais consumistas? Será que toda e qualquer felicidade é bem vinda? Mesmo quando, para senti-la, precisemos fechar os olhos para as coisas que acontecem ao nosso redor, e impõe sofrimento a tantas outras pessoas?

Não. Não é toda a felicidade que é bem vinda. E isto eu vejo de uma forma bem clara no Teatro Mágico: Segundo Ato. Precisamos prestar atenção nas nossas verdades, nos nossos ideais e, principalmente, na realidade do mundo em que vivemos. Não podemos nos alienar, nos tornar indiferente a tudo aquilo que nos machuca. “Em cada gesto a gente tem que mostrar aquilo que a gente pensa, a nossa indignação da maneira que for. Mas que ela seja bem vinda, senão isto se torna o mérito e o monstro”. Eu acho que esta é a principal diferença entre os dois cd’s da banda. Em ambos podemos perceber o cultivar das sensações e dos questionamentos, mas enquanto no primeiro se encontra uma “magia e leveza”, o segundo nos puxa para a realidade e nos cobra uma postura diferente diante do mundo em que vivemos. Não podemos ficar no encantamento, deslumbramento. Precisamos fincar os pés no chão e construirmos as revoluções para que a felicidade não seja a magia de alguns momentos, mas sim um estado permanente permitido a todos, e não a uma minoria privilegiada e fechada a si mesmo.

O maior desafio do Fernando Anitelli e do Teatro Mágico, na minha opinião, é que enquanto o primeiro cd é bastante consensual (faz bem a todos nós olhar para dentro e cultivar os sentimentos que ele descreve) e nos trás conforto e alegria, o segundo cd trabalha questões mais complexas e um pouco menos acessíveis para grande parte dos fãs, sobre a realidade social na qual estamos inseridos e sobre a mudança de atitudes e paradigmas para que possamos praticar algumas verdades que dizemos sentir (todos falamos sobre um mundo mais justo, sobre ajudar as pessoas, sobre cuidar uns dos outros, mas com qual disposição estamos agindo de acordo com esse discurso?). O que eu espero, de verdade, é que os fãs, que gostam de se denominar de pessoas raras e especiais, façam jus a este magnífico trabalho e entendam que a mensagem do Teatro Mágico é muito maior do que a beleza de um espetáculo cheio de cores, musicalidade, e frases para repetirmos sem viver (“acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que diz”).

p.s.: Todas as frases que se encontram entre aspas, no presente post, são de autoria do Teatro Mágico.

p.s.2: São apenas minhas opiniões a respeito do que eu ouvi e senti. Tratam-se de conclusões pessoais, e não de verdades absolutas. Queria trazer a tona um debate, e não uma resposta em relação a conduta a ser tomada.

p.s.3: Se alguém conhecer uma gravação dessa música que esteja com melhor qualidade, e puder me indicar, eu ficaria bastante grato!

p.s.4: Para conhecer mais o trabalho do Teatro Mágico é só acessar http://www.oteatromagico.mus.br

Anúncios
comentários
  1. Cátia disse:

    Eu gosto de ouvir o que você ouve e sente!
    Sempre

  2. berenice disse:

    Também fiquei encantada com esta trupe maravilhosa, Gabriel!
    Na época que postei sobre eles, não tive palavras pra descrever, então apenas uma letra de música deles e uma imagem foi o bastante pra mim. Lendo agora este seu post entendo melhor meus próprios sentimentos.

    Parabéns pelo post!
    Abraços.
    Berenice

    http://blogdaberenice.blogspot.com/2007/10/respeitvel-teatro-mgico.html

  3. AnaLua disse:

    Nossa, confesso que não conhecia esse grupo, mas gostei muito da proposta. Adoro arte. Adoro miscelânea de arte.

    Respondendo sua pergunta: as respostas, sim e não, são pro sul, enquanto algo em mim, maior que razão e emoção, como uma bússola, aponta sempre pro norte…

    Beijo!

  4. Eu adoro TM, sou muito fã do Galdino.
    Mas, ainda não tive oportunidade de ver o show do 2°Ato. Espero pelo show q terá no Memorial, em SP.
    Como vc achou meu blog, Gabriel?
    Bjs

  5. pedro disse:

    Gabriel, eu sou muito chato e vou discordar de você…Não gosto de Teatro Mágico por diversos motivos. Mas, alguns deles são:

    existem pelo menos outras 1000 bandas que unem todas essas propostas. E isso não faz delas algo bom, por mais que até mesmo eu goste de algumas; nem famosas; nem merecedoras de fama. A maioria é puro pastiche, denúncia de burguesia que não consegue se comportar com a cultura além de repertório. E apelação técnica também. E cativação por espetáculo.

    toda obra de arte é promessa de felicidade e simplesmente propor carinho, alegria etc. contrapondo ao mundo “errado” de fora é algo que até mesmo igreja católica faz. Para ser chamado de arte precisa de muito mais que isso.

    o comportamento do Teatro Mágico é suavizado, mastigado, enquadrado em moldes de indústria cultural. É entretenimento “para se ficar de acordo”, não proporciona ampliação de sensorialidade estética alguma, já que joga com conceitos que até propaganda de celular trabalha.

  6. Jac Oliveira disse:

    Não conheço o trabalho dessa banda. Pode ser chamada de banda? assim que tiver tempo vou entrar no site.
    Vc sempre me fala deles…
    mas, muitas outras músicas e manifestações nos transmitem essas sensações. E são mto válidas sempre.
    Entendo que determinadas manifestações artísticas nos provoquem mais ou menos reflexão.. sem entrar no mérito do que é ou não, arte.

    beijo

  7. Suhelen disse:

    Descobri o trabalho do Teatro Mágico em 2005 e foi impossível não me encantar com a proposta do grupo. E relendo teu texto, senti de novo aquele encanto inicial, de 3 anos atrás…

    Porém hoje eu admiro o trabalho da trupe de outra forma, com outro olhar, e concordo com algumas coisas descritas em teu texto… Além disso, é importante a gente dar o devido valor a arte independente neste país, como eles tanto pregam, da mesma forma que devemos sempre repensar nossos valores…

    Pensar na proposta do Teatro Mágico me tem sido uma tarefa instigante, a medida que são defendidas coisas, pela própria trupe, mas que por baixo da lona é possível ver que quando cai o pano e o pano cai, há muito mais pra ser maquiado…

    Prazer imenso comentar neste teu espaço.
    Voltarei mais vezes.

    Grande abraço pra ti!

  8. Acho q achei, por acaso 🙂
    Vc comentou no blog da minha amiga Nath 🙂
    Tb saio clicando por aí Rs**
    Bjs

  9. l u a * disse:

    Gabriel.

    acho que foi ontem – ou anteontem – que fui ouvir TM de novo, depois de muito, muito tempo depois. o último show que eu fui, me chateou muito, sabe. as pessoas pareciam mesmo apaixonadas. mas pelo anitelli, pelas cores. e não pela extrema profundidade das letras. (“se vamos para frente, coisas ficam para trás. só nunca vamos saber que coisas são essas.“).
    depois de TM passei a pensar diferente as minhas atitudes políticas. que antes de salvar o mundo, tem gente. e que pessoa é a coisa mais mágica que há, sabe?
    mas um pouco que me magoou a atitude do público e a do TM de volta. ou talvez eu só tenha a terrível mania de atribuir atitudes que eu acho que EU deveria tomar aos outros.

    mas ainda assim. você me instigou. quero ouvir o segundo, que me é totalmente desconhecido.

    saudades de verdade,
    lua.

  10. Cle disse:

    Condordo com a Lua…
    E também quero ver o Segundo ato do TM.
    Acabei perdendo o show aqui em Campinas!!!

    Beijo

  11. Cle disse:

    errei meu endereço…esse é o correto!!

  12. Melina disse:

    Faz um tempinho que não venho aqui.

    Já ouvi falar muito do Teatro Mágico e sempre que ouço falando é sempre sobre coisas boas, e de que eles são mágicos como o nome denuncia.
    ” Camarada, viva a vida mais leve, não deixe que ela escorregue, que te cause mais dor”. Gostei muito dessa e sinceramente acho que é de caras como eles que nós estamos precisando, principalmente a juventude de hoje que anda tão…tão…Porque na minha época, eu já ouvia algo como: “Rubão, pagou pra frente…”, “eu não sou que nem você filha da puta, sem vergonha”. Porque todos nós precisamos de algo mais interessante e útil do que isso.

    E pelo que li aqui no seu blog, a proposta dos caras parece bem interessante e eu quero conhecê-los mais. Até abri aqui a página do youtube para ver o vídeo e espero animada.

    O ruim das coisas é que nem todos conseguem ter a mesma sensibilidade que você e perceber a música além de palavras formando uma frase que para alguns é sem sentido.
    Espero que você continue assim e principalmente: continue escrevendo para que essa sensiblidade chegue à outras pessoas porque assim já é um grande caminho. Mudando as outras pessoas.

    Pois sim :}
    Será que poderia te adicionar no msn?
    Há tempos que comento aqui, você comenta no meu blog…e nunca conversamos de fato. Acho que não seria uma má idéia, certo?

    :*

  13. Marilac disse:

    Oii Gabriel,
    Não conhecia esse grupo e gostei da proposta.
    Muito interessante reunir diversas manifestações artísticas em um mesmo espetáculo e assim conseguir transmitir uma mensagem maior !
    Adorei seu texto e a forma como vc expressa seus sentimentos e as emoções que o grupo transmite.

    bjs

    Marilac

  14. Xalmer disse:

    O Segundo Ato já está disponivel em http://www.xalmer.com

    abracos

  15. Xalmer disse:

    Gabriel, parabens pelo blog…. MUITO BOM MESMO ! Saiba que acaba de ganhar um leitor assiduo… um grande abraco

  16. Paulinha disse:

    Eu não consegui ir ao show, mas uma amiga que foi me deu o 1o. cd de presente e eu fiquei apaixonada, não perderei outra chance de vê-los.
    Vi muitos videos pelo youtube, são fantásticos.
    Concordo exatemente com a forma que descreveu, realmente é mágico!

  17. capimsanto disse:

    eu acho engraçado como parece inevitavel que no primeiro momento a grande maioria das pessoas, aos conhecer o TM, sintam esse impulso de “sair-por-aí-dando-free-hugs-pra-salvar-o-mundo”

    mas dai qdo se aprofunda na coisa, ve que o buraco é mais embaixo.

    concordo com muita coisa do que tu disse, outras não.
    Anitelli é publicitário, no fundo acho que ele só soube dar o pulo do gato, num momento em que a juventude não tinha nenhum Cazuza, ou Legião Urbana. preencheu um espaço vazio. e a cada dia tem se tornado individualmente maior q o seu projeto.

    mas no frigir dos ovos, eu sou sim uma grande fã. e sei que o TM tem inumeras maneiras de mudar vidas.

    vou ler o seu blog com mais calma.
    até!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s