A dialética da prisão (ou a expectativa da liberdade)

Publicado: setembro 3, 2008 em Olhar para dentro, Reflexões

Você não consegue se mover. O peso é grande demais. São muitas contas no final do mês. Eles dependem de você. Um passo em falso e tudo pode ser destruído. Ninguém vai entender. Você vai querer voltar atrás, e será tarde demais. Você tem sorte, não vá se perder no caminho.

Feche seus olhos. Olhe para dentro. Se pretender cortar as amarras, tem que ser de dentro para fora. Não espere ninguém chegar. Não espere ninguém ir embora. A mudança depende, fundamentalmente, de você.

Você está tão cansado. O cansaço te consome. Não há tempo. Sobreviva, e o futuro lhe pertencerá. Esta não é a hora certa para viver. Invista no seu futuro, cuide do seu futuro, viva o seu futuro. Você poderá fazer mais depois, você poderá ser mais depois. Olhe para frente, siga em frente, não se disperse. Foco nos resultados. O que seus olhos não podem ver, não é importante. Do que seus olhos desviam, isso precisa ser esquecido.

O meu tempo é o presente. Não serei aquele que vive de saudades, sem buscar aqueles que ama. Não aceitarei como natural um sistema social que impõe a miséria material e existencial. Na minha rua, andarei com os meus passos (e só assim poderei caminhar autenticamente ao lado de quem for).

Você é fruto do mundo em que vive. Sinta a brisa, suave, arrastar-lhe. Se entregue e escape do turbilhão de medo. Você é um grão levado ao vento. Se vier por aqui, não virá sozinho. Não caminhe em direção à parede. Depois da montanha, só há o abismo. Aquilo é muito longe (não saia de perto!).

Não somos agentes passivos daquilo que vivemos. Não somos simples vítimas das circunstâncias. Somos conscientes (ou, ao menos, temos potencial consciência). Podemos escolher ser o movimento. O pássaro ou a paisagem. As coisas podem acontecer com a gente, ou podemos fazê-las acontecer.

Mais ação, menos omissão.

Mais atitude, menos sorte.

Mais agito, menos acomodar.

Mais pensar, mais agir, mais sentir.

p.s.: escrevo este post enquanto assisto à entrevista concedida pela Ana Mariane ao Jô Soares. 98 anos, 45 anos de trabalho social prestado junto a idosos, pessoa de lucidez admirável, amor pela vida que exala através de um olhar vívido e inteligente, daquelas que sabem porque estão aqui e porque querem continuar aqui.

Anúncios
comentários
  1. Luanin disse:

    Nós não somos telespectadores da nossa vida, somos tecelões dela e cabe a nós, somente a nós e a mais ninguém tecê-la como desejamos, como sonhamos. Quem espera não alcança, quem não declama, não rouba sorrisos ou por vezes lágrimas, quem não vive, não experimenta, jamais descobre. Êxitos e fracassos fazem parte, o restante sim é bagagem ^.~

  2. Nadine disse:

    Tem um texto de atribuiram ao Luis Fernando Veríssimo (inclusive eu já disse isso no blog da Nath hehehe) que fala sobre “quases” e termina dizendo que ‘embora quem quase morra esteja vivo, quem quase vive já morreu’. E diz também para passar mais tempo agindo que planejando, vivendo que sonhando… e eu confesso. Eu só sei planejar e sonhar e acabo tornando-me uma expectadora da minha própria vida. Minha esperança está na ansiedade. Acho que ela vai passar e vou enxergar melhor as coisas. Mas, enquanto não acontece… fico aqui desesperada com a sensação de ter vivido muito mal meus 21 anos (até então).

  3. Jac Oliveira disse:

    eu li palavras parecidas em uma entrevista com um psicólogo ou psi alguma coisa… não sei pq tu escolhestes o Direito. 🙂

  4. Verônica disse:

    Não esperava você tão cedo!

    É verdade, às vezes a gente sobrevive pra viver depois. Em outras vezes, precisamos viver urgente.

    Beijos, saudades.

  5. Carrie disse:

    Putz, o cansaço está se apossando da minha pessoa, mas não do meu ser.
    Da luta não me retiro… mas q cansa, cansa!

    Pois é, estou em momentos de intensa felicidade e magnetismo feliz de feliz intensidade magnética. Coisas chatas acontecem, mas tb faz parte.

  6. Ela disse:

    Olaaaa
    Saudade grande.

    Sim,, somos frutos do espaço que ocupamos, e agora a pouco eu dizia, qu amo o lugar onde vivo, porque ele reflete , muito do que sou.
    E quando s e tem este amor grande dentro da gente, uma boa noite de sono dá conta de cansaços momentâneos e nós acordamos muito bem para o mundo!!!!!!!

  7. Alice disse:

    Tua visita é sempre um presente e uma delícia…
    Agradeço.
    E espero.

    Beijo meu.

  8. Gabriel, dificil tuas palavras serem apenas ecos. Dá pra sentir todo o sentimento que derrama nelas. Concordo plenamente com vc. Não somos agentes passivos nesse mundo de meu Deus. Nós somos os movimento.
    Abraços. Estarei sempre por aqui. Aguardo tua visita.

  9. Leandro Loan disse:

    Muito bom post!

    és belo.

  10. Colombina disse:

    Esse texto foi escrito por um ariano. VAMOS LÁ! VAMOS PARTIR PRA AÇÃO! ACOOOOORDA PRA VIDA, POVO! Sim, concordo com essa turminha do primeiro signo zodiacal. Até porque segundo a lógica, o único tempo em que VIVEMOS, em que nos É possível viver, é o PRESENTE. Os dias vem e vão, na prática ninguém vive em outro tempo.

    Próxima vez que for doar sangue, te chamo.

  11. AnaLua disse:

    “O que seus olhos não podem ver, não é importante.”

    Estou aqui a refletir nessa frase. Geralmente vemos o que é óbvio. Mais importante realmente é o que não se vê. As pessoas realmente influentes e importantes são as que não aparecem. O verdadeiro poder por vezes está oculto, escondido até mesmo dos que o detém.

    Como sempre, adoro os teus textos, sempre tão inteligentes, racionais mas com pitadas generosas de paixão.

    Beijo!

  12. Nathalia disse:

    É porque as escolhas são assim mesmo, carregam com elas o receio do necessário passo. Carregam com elas, viu?! Após a escolha, você se sente livre, sim! No entanto, não fique angustiado se sentir que deve esperar, que a espera não é omissão, mas cautela. Mais atitude, e mais sorte, também! Quase um mês depois do seu post, sinceramente espero que tenha se libertado do “vão da escolha” em que você se recolheu. Fique bem!

  13. Marcella (rocks) disse:

    Discordo em partes.
    Pediria impaciência e acho que hoje você faria o mesmo.

    E me caminharia até o mais longe, em direção a montanha e me jogaria sem nem pensar no abismo… olhando para as estrelas.

  14. Katia Cristina disse:

    mew amei todos os seus post!!li todos rsr é serio..vc tem uma facilidade de falar de sentimentos ..sentimentos tao iguais aos meus!!continue escrevendo peloamordeDeus!!
    bjoos

  15. Simone disse:

    Passei por aqui meio sem querer e adorei! Questionar é preciso, mas às vezes deixa a gente louco… Essa coisa de viver o futuro, que nunca chega (claro) é um erro difícil de não cometer. Mas sempre vale lembrar que o amanhã não existe.
    bj

  16. Jacqueline disse:

    Gabi! a Simone (do comentário aí de cima) é colega minha de trabalho! só que ela fica no escritório aí em Sampa 🙂 que legal essa sinergia hehe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s