Novo ciclo (ou reciclagem?)

Publicado: março 18, 2009 em Olhar para dentro

(essa é a minha história, mas, se você olhar bem, vai encontrar a história de tanta gente)

E agora posso dizer, finalmente, que aqui se encerra um ciclo. Como a maioria das coisas que acontecem em nossas vidas, não foi uma transição radical, de rupturas absolutas. Mas o impacto do ciclo que se encerra já pode ser sentido e ecoa dentro de mim.

(o que precisa ser feito geralmente sempre tem um peso maior do que queremos que seja feito)

Terminei o curso de Direito em uma faculdade que respira história e ideologia. Assim como a maior parte dos colegas formandos, saí com a sensação de que podia ter feito mais: estudado mais, vivido mais a vida universitária, aproveitado mais as possibilidades oferecidas pela universidade, o contato com professores tão especiais, pessoas de cursos tão diferentes, mas tão próximos.

Mas, mais do que isso, saí com a sensação de dever cumprido. De que iria até o fim, e mesmo que o sentido daquilo tudo não estivesse sempre tão claro, eu não usaria as minhas inseguranças como subterfúgios para andar por caminhos mais fáceis. Eu tinha uma verdade e a persegui.

(nem sempre conseguimos chegar até a verdade que procuramos. e eu tenho medo das certezas de verdades absolutas – estas não são as minhas).

Ainda assim, a odisséia não termina com o diploma de bacharel. É preciso passar na OAB. Uma prova sobre um universo amplo, e às vezes formal e abstrato demais, que vai tentar te dizer (de forma subjetiva, mas cruel), qual o valor dos seus cinco anos anteriores de estudo. Discordo da prova da OAB enquanto conteúdo e método plenamente eficaz para seus fins, mas era um desafio que eu estava disposto a enfrentar.

(continue a nadar, continue a nadar)

Não poderia saber de melhor forma que fui aprovado nessa tal OAB: o telefonema da pessoa que mais me foi especial naquela faculdade, amiga daquelas de se compartilhar os ideais mais profundos (através das idéias políticas mais conflitantes). Encerro aqui uma faculdade que nem sempre foi prazerosa, mas que me ensinou muito sobre o mundo.

(mas não o suficiente) (nunca o suficiente).

E é por isto que prestei Ciências Sociais na USP. E o ditado “distraídos venceremos” nunca foi tão conveniente: a ausência de preparação e expectativas fez com que a aprovação fosse uma possível surpresa. E agora lá vamos nós. Os objetivos, agora, são bem diferentes, mais flexíveis. Diferente do Direito, é um caminho que eu só posso enxergar o começo, sem saber exatamente como será em seu fim.

(“é caminhando que se faz o caminho”)

E renova-me a disposição para me reinventar, e fazer melhor. As minhas necessidades estão cada vez mais pulsantes, e compreendo cada vez mais o quanto necessito de certas transgressões ao senso comum. Pessoas e lugares novos, idéias sendo construídas e questionadas, e um universo todo a ser conquistado (e compartilhado). Estou em cima da ponte, mas o precipício não me assusta mais. Se for para cair, que seja para voar (não acredito que o céu seja o fim, e, se for para estar sob a terra, farei valer a pena, tanto quanto puder).

Anúncios
comentários
  1. Colombina disse:

    Gabriel, você é maluco! Doido de pedra! Termina a faculdade no tempo mínimo, passa de primeira na OAB e resolve cursar Ciências Sociais! Ao que parece, praticamente desde a adolescência você se interessa pela área…

    PARABÉNS, Anjo Encarnado!! Já comemorou o fim do ciclo? Ou prefere festejar o novo começo?

    Que a eficácia esteja contigo!

  2. Márcio B. S. disse:

    É ótimo essa sensação de dever cumprido, de fechar um ciclo e estar livre pra novas possibilidades, mas tb dá medo às vezes do q vem pela frente… Mas aí é q se tem q estabeler um novo objetivo e seguir em frente.

  3. Bella disse:

    Ah, Gabi! Muita gente encerra um ciclo semelhante com muito mais desgaste do que vontade de conquistar mais coisas ainda. É admirável essa sua disposição, essa mente cheia de vontade de fazer novas sinapses, de agregar o quanto mais puder e caminhar junto de pessoas empenhadas realmente em fazer crescer essa rede de “boas e necessárias transgressões”. Surpreeende-me da melhor maneira possível! Esse é você mesmo, com seus sonhos (que não estavam perdidos). Orgulho meu! :*

  4. Verônica Almeida disse:

    Movimento gera movimento, não é mesmo?

    Busquemos mais, cada vez mais porque, sabemos, nunca é o suficiente!

    E a idade está chegando, né?

    Torço muito por você, sonhe sempre alto.

    Beijos!

  5. Eu adoro a sensação de cilcos concluídos, pena que isso me remete sempre pra vida ser um pêndulo entre o tédio e o sofrimento, do babaca-depressivo do Schopenhauer. E aí toda a felicidade perde a graça.
    “Distraídos Venceremos”, adoro o Leminski. “Essa coisa da gente querer ser exatamente o que a gente é, ainda vai nos levar muito mais além”.
    Apesar de eu não concordar com essa coisa toda política-poética de mudança de mundo. Mas isso é resquício da minha formação.
    Vc é bixo das Socias?
    Será que se eu contar que eu sou seu vizinho da Letras vc entende um pouco porque eu não consigo encarar esse tipo de discurso ? Ou eu não falo coisa com coisa?
    Mas isso não é assunto pra cá, talvez eu escreva sobre isso.
    Boa sorte na OAB.
    Beijos.

  6. Carol disse:

    Gabriel,

    Eu fico muito feliz pelo fim deste ciclo que foi sua universidade. Principalmente, porque senti desde que o conheci, sua busca pela justiça, especialmente uma justiça mais ampla, a de um mundo mais justo, mais igualitários, ou pelo menos menos desigual, com melhores oportunidades para todos.

    Sua preocupação com os excluídos, os mais fracos é um traço marcante de sua personalidade, que transborda de seus escritos.

    Sei que vai ser um bom profissional e acima de tudo já é um ser humano que busca fazer sua parte para tornar a vida de alguns um pouco melhor, quem sabe com o tempo , de muitos….

    Torço por você, para que seu idealismo se transforme em realização e depois, em pequenas e grandes conquistas que ainda vão dar muitos frutos e sementes.

    Parabéns pelo começo da nova jornada profissional. Que ela seja longa e muito, mas muito produtiva e feliz.

    Beijos, com carinho!
    Carol

  7. Ela disse:

    Eu sempre sofro um pouco a cada ciclo terminado. No meu caso, a dificuldade está em pensar que ainda falta um pouco, sempre…

    Para você , Parabéns,saberes necessários e diversos, eu diria que um complementará o outro e dará a humanidade e a razão necessária para lidar com as duas áreas.

    Você é tudo de bom.
    Sucesso

  8. Marilac disse:

    Gabriel,
    Parabéns, pela formatura, e pela aprovação na OAB!
    Admiro sua disposição para iniciar o curso de Ciências Sociais e sei que irá complementar sua formação para agir sempre em busca da justiça .
    Adoro a forma como você se questiona e nos motiva a refletir sobre nossa vida, sobre o que podemos fazer de melhor por nós , pelos outros , pelo mundo. E existe tanto a ser feito, não podemos tudo mas podemos fazer a nossa parte, exemplos que podem gerar frutos,

    Abraços
    Marilac

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s