Sensações

Publicado: abril 8, 2009 em Olhar para dentro, Reflexões

E se você estivesse diante de tantas cores que seus olhos desistissem de distingui-las? E se todo o empenho fosse em deixá-las livres para apresentar novos mundos?

E se a música tomasse conta de você de tal forma que, sem perceber, você deixasse de ouvi-la ser parte dela, se sua dança fosse o ritmo e melodia?

Se o seu corpo não fosse nada além daquilo que se movimento pelo espaço e que sente (e faz sentir) de forma tão intensa? (você já experimentou a ponta dos seus dedos levemente subindo pelo seu braço?)

E se você fosse capaz de se entregar às sensações, o que isso acarretaria? O que isto faria com o modo de pensar sua vida e suas prioridades?

Não se trata de escravizar-se pelo poder inebriante que as sensações podem nos 0ferecer. Trata-se de perceber as limitações inerentes à razão, incapaz de responder por estímulos sensoriais de forma tão profunda e significativa.

Saber é importante, mas não é tudo. Preciso, cada vez mais, descobrir sobre o sentir, entender o que dizem as sensações. Não haverá verdadeira revolução, nenhuma libertação sustentável ou felicidade plena que possa ser atingida, única e exclusivamente, por construções racionais que desconsiderem a grandeza de significado que é sentir.

(em busca constante da intensidade do sentir!)

Anúncios
comentários
  1. Verônica disse:

    Pois é, você não desiste…

    Beijos.

  2. rafaela disse:

    Toda – ou quase toda- experiência é válida.
    Sentir é fundamental.

    PS: to esperando um espírito de criatividade baixar em mim 🙂

  3. Anne Scandell disse:

    Que a paz de um espirito renovado possa te levar a voar nas asas da imaginação até um lugar distante, e te encher de alegria renovando suas energia e esperança de que tudo vai melhorar, pois somos seres pensantes e por isso, se quisermos, tudo pode mudar sempre. Bjão encantado e feliz pascoa.

  4. Iza disse:

    Parece que só se pode ‘responder’ à uma sensação com outra sensação…

  5. Colombina disse:

    Traduzindo: você precisa de um abraço. Eu preciso de um abraço. Nós precisamos de um abraço. Todos precisam de um abraço.

    Quer coisa mais irracional e sensorial que um abraço?… EXISTE! Milhares, que não mencionarei. O anjo encarnado desse pedaço descobriu que racionalidade não costuma gostar de carinho. Falta descobrir que o mundo não é mau por ser demasiado racional, é mau por falta de carinho.

    EU QUERO UM ABRAÇO!

  6. André Azeredo disse:

    É uma pena que a objetividade tomou conta do mundo. A espontaneidade praticamente não existe mais.

    Números são importantes, mas não são nada sem as pessoas.

    Como diz a música números, do Papas da Língua: números não dizem nada sobre nossa vida…

    Todos parecem estar surdos…

    Eu quero um abraço!

  7. Beatriz disse:

    Oi Gabriel !

    O saber é uma aliado do sentir … pois permite nos permitir muitas das sensações .

    O saber só será ruim se vier acompanhado de conceitos pré-estabelecidos e cegos , fora isso saber nos dá a liberdade de não ter medo de conhecer o mundo, tudo e todos que estão inseridos nele !

    É muito bom se deixar levar pelo “…poder inebriante que as sensações podem nos oferecer…”.

    Como estão as coisas no novo curso ?! Parabéns pelas conquistas do post anterior !!

    Bjs

    P.s.: Eu tb quero um abraço !! Rsrs

  8. Ela disse:

    aprender Sentir, é um exercício diário nestas bandas.
    Aqui ja descobri que vale muito mais do que todo o conhecimento acumulado da humanidade.
    Pra variar e só pra variar, amei teu post!

  9. womanscent disse:

    Será que você não perde um pouco o “sentir” quando tenta entende-lo? Isso não seria uma forma de racionaliza-lo. Sinta, apenas… acho que isso é mais próximo do que se diz que é “viver”.

  10. Acho que essa frase da Clarice esclarece:

    ” …é que eu não sou senão em estado potencial, sentindo que há em mim água fresca, mas sem descobrir onde é a sua fonte. ”

    Beijo !

  11. ia me embreagar sempre se tudo que me tinge, leva e domina!
    iria me embriagar de sensações puras e deixaria que a música fosse o som do vento e que cada movimento meu fosse eu!

    seria livre, de tão dominada.

  12. Temos cada vez mais necessidades de fugir do racional e simplesmente entrar em contato direto com as coisas em si. Isso recobra o sentido q o mundo tem para a gente.

  13. Sensações, é nisso q estou ligada agora.
    Sentir, porque o pensar, muitas vezes me sabota!

  14. Rodrigo disse:

    Alô:

    Interessante (e bacana!) o blog…
    Além da BELA imagem no início!
    Diria que todos nós necessitamos de ‘abraços’, ‘beijos’ e APERTO DE MÃO…

    E (mais) abraços,
    Rodrigo Rosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s