Arquivo de setembro, 2009

Aquilo que alimenta a alma!

Publicado: setembro 29, 2009 em Olhar para dentro, Reflexões

Bebida é água!
Comida é pasto!
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?
A gente não quer só comida – a gente quer comida, diversão e arte
A gente não quer só comida – a gente quer saída, para qualquer parte!
(Titãs – Comida)

Você mantém o corpo vivo. Mas…

De que forma tem alimentado sua alma? Tem feito escolhas que privilegiam aquilo que você realmente precisa? Para, além de viver, realizar aquilo que lhe é mais importante?

Quais têm sido suas conquistas? Qual o cuidado e dedicação com os seus projetos?

Não deixe os sonhos para lá. Não deixe que a rotina tome toda a sua disposição. A única forma de enfrentar a inércia é com movimento (que gera mais movimento!), e não adianta esperar até lhe acertarem um empurrão: é mais verdadeiro quando é de dentro para fora.


(Sobre trabalhar com educação, descobri duas coisas. A primeira: é muito mais gostoso do que eu imaginava. A segunda: é muito mais difícil do que pensei. Ensinar tem sido um aprendizado tão grande!).

Vamos levantar a cabeça para perceber tudo o que acontece a nossa volta. Não é possível que seja tudo tão trivial, que nosso olhar seja sempre tão superficial! Vemos a miséria e a injustiça por todos os lados, e tudo o que podemos dizer é “ó mundo tão desigual, tudo é tão desigual?”.

Até quando fingiremos que isso é culpa das políticas públicas, do caráter humano, do momento evolutivo de nossa espécie, de uma cultura degradada pelo consumismo, em que o egoísmo é cultivado como a única verdade incondicional de nossa natureza?

Somos tão mais que isso, mas, em termos práticos, estamos agindo como se fossemos? A questão não é saber a solução (pura e simplesmente), mas perceber o quanto realmente nos importamos com isso: como anda o seu nível de angústia em relação a tudo que é e não deveria ser?

(eu sei, eu sei. precisamos sobreviver e nossa angústia, por si só, não gera mudança. mas será que alguma das grandes pessoas que conhecemos, figuras históricas ou pessoais, será que elas conseguiram seus grandes feitos sem antes terem se angustiado profundamente com a situação que precisaram enfrentar?)

O que te angustia, e como você manifesta a sua rebeldia em relação a isso?

Não vê que às vezes um sim é um não?
Não vê que o silêncio às vezes é ensurdecedor?
Não vê que hoje eu preciso que não respeite minha decisão?

Preciso da tua rebeldia neste instante
(é que a razão quer me fazer acreditar que todo nosso céu de estrelas
foi só um sonho meu)

Adiante, adiante! Coração desperto, mangas arregaçadas e tijolo em cima de tijolo. Voar com os pés no chão é mais difícil e cansativo, mas faz com que você não precise estar sempre disposto a pular penhascos.

Não há grande salvação
Nada que possa nos redimir
A não ser o que decidirmos construir
(e que seja com [intensa verdade e] paixão)

p.s.: se conhecerem alguém que vai prestar vestibular/Enem, que tenham interesse (e não tenham recursos para pagar) em freqüentar um curso preparatório (domingos de setembro), na região de São Paulo (capital – próximo ao Metrô Praça da Árvore), favor enviar o email ou forma de contato para gabrielneves@gmail.com