Arquivo de fevereiro, 2011

Desfrute do Sal!

Publicado: fevereiro 21, 2011 em Olhar para dentro, Reflexões

Depois de vários anos, uma noite de insônia. Como tanta coisa na vida, poderia ser muito simples, desde que eu não pensasse muito a respeito. Um novo episódio de House, algumas notícias pela internet, e tudo estaria resolvido. Algumas horas a mais de sono para os dias corridos que virão.

Por outro lado, quantas vezes escolhemos fugir de nossos medos e angústias, deixando para trás a oportunidade trazida pelo incômodo para encarar aquilo que nos faz menores?

Que deixemos, às vezes, o sangue escorrer. Percebamos sua cor. Que saibamos chorar, para reconhecermos o sal de nossas lágrimas. Porque às vezes é a nossa dor que nos mostra os (des)caminhos, e não os nossos sorrisos (e tenho um certo receio de quem nunca tropeça ou balança. Não consigo acreditar em nenhuma convicção incondicional).

Na luta pelo controle de si, tanta coisa se perde. Conseguimos evitar certas situações, e como consequência outras tantas situações podem escolher nos evitar. Alguém especial me disse um dia desses que eu me joguei em direção a um sentimento, e que lutei muito para de fato senti-lo. E assisti hoje, novamente, ao excelente Cisne Negro, em que a intensidade retida – e quase não percebida – encontra formas de explodir assim que encontra uma saída.

Enfim, talvez eu precise aprender a deixar fluir um pouco mais. Desfrutar um pouco mais dos sonhos e ideais que não me abandonam (e nunca poderiam). No sentido de alimentar a alma, mesmo porque o corpo, sozinho, pode muito pouco, por mais bem intencionado que seja. Menos inseguranças e encanações, mais riscos e ousadias. Vou caminhando!

p.s.: percebo que o horário faz com que tudo pareça um pouco desconexo, mas insisto no sentido, ainda que não entendido, que dá sentido à busca ao entender e sentir…

Anúncios