Ouvir e Sentir

Publicado: julho 27, 2011 em Olhar para dentro, Reflexões

São três da manhã e você permanece desperta. Sei que está cansada, e sei que você não entende (ou não concorda) com o que me faz ainda estar aqui. Mas você fica, insiste e sorri. Quando meus olhos já não me obedecem, me chega um pouco de café. E quando eu acho que tudo isso será inútil, você aperta a minha mão, e lembra que há muito de mim ainda a oferecer. E diz saber que eu não vou desistir, ri e canta baixinho, meio desafinada mesmo “se o que eu sou é também o que escolhi ser, aceito a condição”. Me pergunta para quê, então, sofrer tanto se é por algo que acredito, se lutar por isso me faz bem. Pede para eu ficar só com as dúvidas que vão me fazer questionar, aquelas que vão trazer movimento. E aí não sei o que me dá, mas esse mundo doido (de uma loucura tão cruel e solitária) faz invadir uma realidade tão diferente, meio cinza, sabe? E eu juro que luto para manter tuas lembranças, toda a esperança que me contagiou. Sem você aqui o caminho é menos bonito, menos gostoso. Fica aquele meu jeito de fazer mais pelo que acredito e menos pelo que preciso. Mas vou continuar caminhando. Sei que ainda vou sentir.

 

Estar de férias tem sido, para mim, como desligar da tomada. Um tanto de silêncio, bastante paz, muito sono, descanso. Diferente de tudo o que vivi nestes últimos 5 anos em termos de intensidades, correrias, mil planos e projetos, tantas tomadas de posição. É diferente do que eu esperava, mas estou me permitindo desligar, por duas semanas, feito menos questão de fazer sentido, menos pressa para tudo. Estou vivendo um tempo meu, exclusivamente meu, sem muitos compromissos. Com alguma solidão, com bastante leveza, deixando as horas escorrerem enquanto carrego baterias para os novos tempos que inevitavelmente virão (e serão bem vindos). Sendo assim, me permitirei experimentar também neste blog formas mais subjetivas de questionar.

 

(permitir parece mesmo a palavra da vez!)

Anúncios
comentários
  1. Ela disse:

    É sempre bom se” permitir”.
    E melhor ainda conseguir desligar, descansar, dormir sem dó as três da manhã.

    Certamente estarei aqui, ouvindo teus questionamentos.
    Adoro ler teus escritos!

  2. max disse:

    e quer dizer que o doutor tem um blog, é? muito legal, só não entendo porque você não compartilhou com seus colegas tanta subjetividade questionadora antes, como na edição anterior do nosso kula! hehehe…. bom, espero vê-lo mais vezes por aqui e por aí. abraço!

  3. Né? disse:

    Deixar escorrer o tempo…. vê menininho, quanta alegria de ter o pensamento mais a frente, Será que quando o tempo passar tua dor também escorrerá? .. ou será que tua alma tão judiada por uma sociedade tão ingênua e injusta terá forças para lutar contra aquilo que te faz mal? Ouça menininho, você cansará, tantas vezes, que se cansará de cansar… talvez desistirá, talvez se fortalecerá, talvez deixará os teus desejos também escorrerem, como o tempo.
    Ou talvez seja você que, mesmo sem concordar, cantarole pra alguém, meio desafinado mesmo, e lembre que ainda há muito a oferecer!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s