Arquivo de outubro, 2012

Sobre os Guarani Kaiowá

Publicado: outubro 24, 2012 em Sem-categoria
Tags:

É importante sentir, se indignar. Sem sentimento, sem incômodo, não há movimento. Sem movimento, neste caso, teremos a morte, quer dizer, mais e mais mortes, que parecem doer mais em nossas mentes e corações quando são noticiadas, mas que não doem menos para aquele povo quando se transformam apenas em notas de rodapé dos jornais.

Depois do importante sentir, vamos nos informar. E assim saberemos contra quem estaremos lutando: não é um bandido abstrato, alguém que não tem coração. Não é sequer contra um latifundiário em especial, ou contra os grileiros.

É com o tratamento dado à terra para a nossa sociedade: um bem para se conseguir dinheiro. É o dinheiro para se conseguir (quase) qualquer uma das coisas materiais para se viver. É contra uma televisão que nos convence a consumir mais e mais. É contra um sistema econômico baseado no consumismo (quando mais você consumir, mais empregos serão gerados, a tal roda vai girar). É contra a massificação cultural, que prega a hegemonia do mundo “branco” e civilizado, contra aqueles que são diferentes: que nunca disseram que queriam ter uma vida como a nossa e, ainda assim, insistimos em lhes empurrar o que de pior existe no nosso mundo: a miséria e a exclusão social.

Então, sinta, sinta intensamente, mas mais do que sentir, mova-se! Discuta política! Cobre dos seus candidatos que se posicionem a respeito! E aí Haddad? E aí Serra? E aí Dilma?

Se integre a movimentos sociais: existem várias pessoas (muito mais qualificadas que eu) que conhecem o tema e podem dar mais informações à causa indígina (que não se restringe a este grupo que decretou seu suicídio coletivo, mas também a tantos outros que continuam e continuarão sendo mortos).
Questione o sistema jurídico! Porque o juiz disse que os índios devem sair da terra, acataremos em silêncio? A “ordem” que serve para oprimir os excluídos é legítima?

Questione o capitalismo! A propriedade privada é um valor supremo? Está acima do valor da cultura destes povos? É assim que vamos querer tratar o diferente? É assim que gostaríamos de ser tratados pelo diferente?

Mobilize-se! Assine petições, mas não só! Pesquise, estude, conheça, saia às ruas, acredite, o mundo parece parado, mas não está! Por todos os cantos as inquietações surgem das mais diferentes formas. Integre-se! Seu barulho silencioso não mudará as coisas, mas suas ações, somadas às ações de todos os outros, essas podem mudar tudo!

Abaixo, reproduzo um comentário sobre o tema de Spency Pimentel:

Para quem está conhecendo agora a a situação kaiowá e guarani, por conta da carta do pessoal de Pyelito Kue, e tem interesse em ajudar, seguem alguns links, abaixo. Creio que, neste momento, é importante ter em mente duas coisas: 1) Pyelito é um grupo guarani-kaiowá, dentre mais de 60 – há 30 terras indígenas e mais de 30 acampamentos em beiras de estrada e fazendas, e cada um desses lugares tem suas próprias lideranças, elas se reúnem todas na grande assembleia, a Aty Guasu, que existe, como organização de luta, desde os anos 80; 2) a luta em MS já vem de muito tempo, e vai durar muito tempo ainda, porque o processo de regularização das terras é extremamente complicado – portanto, para quem estiver sensibilizado, é importante construir o entendimento de que é preciso persistência e paciência, e que as coisas não vão se resolver da noite para o dia. Oxalá seja evitado o despejo do pessoal de Pyelito! Mas, quando isso acontecer, não deixem de prestar à situação lá! Para quem acompanha a luta guarani-kaiowá há mais tempo, episódios como esse são quase rotineiros – a cada 3 meses aparece uma ordem de despejo ou uma nova ocupação de terras em que ocorrem conflitos…

Agora, os links:

Esta é uma contextualização sobre a luta guarani-kaiowá, que escrevi pra Carta na Escola, no início do ano: http://www.cartacapital.com.br/carta-na-escola/o-desafio-da-paz/

Este é um vídeo que o Cristiano Navarro e parceiros fizeram, sobre a expansão da cana lá na região (é um vídeo mais jornalístico): http://vimeo.com/32502931

Este nosso vídeo é todo falado em guarani, com legendas, são os xamãs explicando a relação entre a cosmologia kaiowá-guarani e a luta pela terra: http://vimeo.com/34768557

O desafio da paz (Cobertura geral sobre o conflito)| Carta Capital
http://www.cartacapital.com.br