Arquivo de junho, 2013

Eu tinha bons planos. Não é que fossem os melhores ou mais simples. Confesso que nunca fui conservador na hora de planejar. Mas tudo parecia, finalmente, tão factível. Uma dose de aventura, um pouco de sacrifício, a paciência que não é muito minha, a solidão que eu não conhecia. De repente tudo distante. Recalculando todos os passos. Ficar ou partir? Ah, vamos lá. Com a cabeça queimando não dá para decidir. O coração tá seguro, mas todo o resto desmorona. Mas se o pó não nos deixa ver o céu, bora sacodir a poeira. Para ver o horizonte. Para ver a utopia. Para continuar a caminhar…

Anúncios